Instituto Diagnóstico da Mulher

Tratamentos

Implantes Hormonais

Os implantes são feitos de tubos de silasticos especialmente fabricados para uso médicos. Cada unidade mede entre 3 a 4 cm de comprimento e 1mm de diâmetro. O esteróide (ou seja o hormônio específico) finamente pulverizado () ou micronizado, é colocado e compactado na cápsula (tubinho) e fechado (selado ou ocluído) com cola de silástico. Depois do enchimento os implantes (tubinhos) são pesados e esterilizados (vapor ou óxido de etileno) e embalados para uso. A aplicação dos implantes se faz por via subcutânea na região glútea com ajuda de trocar (aplicador) em área previamente anestesiada com cloridrato de lidocaína a 1% sem adrenalina.

 

Tipos de implantes

Hormônio Anticoncepcionais: Elcometrina (Nestorone), Gestrinona, Nomegestrol, Levonorgestrel e etonorgestrel

Hormônios Bioidênticos: Estradiol e Testosterona são hormônios bioidênticos usados isoladamente ou combinados com os anticoncepcionais e/ou combinados para reposição hormonal.

Indicações 

As indicações médicas para os implantes variam desde a puberdade precoce (10 anos) até a reposição hormonal (80 anos).

Nessa série de indicações teremos:

 

1-   A puberdade precoce que é quando uma menina entre 9 e 10 anos inicia sinais clínicos que sua primeira menstruação vai vir precocemente;

 

2-   A endometriose (uma doença benigna que causa uma série de problemas a mulher que vai desde cólicas intensas durante o fluxo menstrual, passando a causar dores durante a relação sexual em muitas mulheres e a causar infertilidade);

 

3-   TPM - Os problemas que antecedem a menstruação, como inchaço, enxaqueca e distúrbios de humor;

 

4-   Miomas - (tumores benignos que também podem diminuir com o uso de alguns implantes específicos);

 

5-    Algumas irregularidades menstruais como o excesso de volume (anemia); 

 

6-   6- Alguns problemas como enjôo, mal estar, que a passagem da pílula pelo estomago e fígado podem causar;

 

7-   A Jovem que esquece de tomar as pílulas gerando ineficácia e irregularidade;

 

8-   Problemas de libido (baixo desejo sexual) que podem ser resolvidos associando implantes de testosterona ao implante anticoncepcional

 

9-   A individualização das doses por índice de massa corporal e hábitos (fumantes), atividades físicas, dentre outros.

 

O Implante 

Os implantes são manipulados como monodroga, seguindo as atuais diretrizes da Organização Mundial de Saúde e sem utilização de qualquer excipiente. Os princípios ativos hormonais são analisados dentro dos critérios farmacopeicos e na ausência destes de acordo com as especificações do fabricante. Os testes para avaliar as características físico-químicas e a avaliação do relatório de análise do fabricante/fornecedor são realizadas na ELMECO e os testes de teor de umidade, teor de ativos e determinação da carga microbiológica, são realizados pelo laboratório de pesquisa, desenvolvimento e ensaio de medicamentos da faculdade de farmácia da UFBA. Estes implantes foram desenvolvidos Pelo Professor Elsimar Coutinho.

Nestorone

Conhecida nos Estados Unidos como Nestorone e cuja sigla é ST-1435, um único implante contendo 50 mg inibe a ovulação por seis meses. A menstruação e a TPM também são inibidas. O nestorone é um 19-nor esteróide que bloqueia, tanto o pico estrogênico quanto o pico androgênico, reduzindo assim os níveis elevados dos hormônios na fase ovulatória. Esse efeito torna o seu uso em portadoras de patologias estrogênio-dependentes ou androgênio-dependentes interessante, porque sem causar efeitos climatéricos nas usuárias, como ocorre com os análogos (agonistas e antagonistas do LHRH), provoca regressão de endometriomas e miomas.

Durante os primeiros três meses de uso, 50% das pacientes sangram irregularmente. No segundo trimestre, o sangramento diminui para 30% . Nas pacientes hirsutas, particularmente as portadoras de ovários policísticos, o bloqueio androgênico resulta em melhora da sintomatologia mais rapidamente do que com o uso de anticoncepcionais orais. Igualmente nas pacientes que têm TPM e não querem sofrer efeitos colaterais, o Nestorone (um implante) associado à testosterona (dois implantes) é mais indicado do que a Gestrinona. Em um estudo realizado no Brasil, em pacientes de endometriose e portadoras de dismenorréia, a intensidade da dor foi reduzida desde o primeiro mês de tratamento. Ao final do primeiro trimestre, nenhuma paciente referia dor forte ou incapacitante cuja incidência foi reduzida de 86% para zero.

Gestrinona

A Gestrinona é um 19-nor-esteróide, anti-estrogênio e antiprogesterona usado no tratamento da endometriose e da miomatose. O composto tem efeito anabolizante e hemostático, sendo por isso também utilizado no tratamento da anemia. Outras patologias estrogênio-dependentes respondem bem à Gestrinona, especialmente as mastopatias. Sob a forma de implantes a Gestrinona, assim como outros implantes hormonais, oferece a vantagem de não sofrer efeito de primeira passagem e ser liberada lentamente ao longo de um ano, inibindo a ovulação e a menstruação.

A Gestrinona, além das indicações tradicionais como a endometriose e a miomatose, é indicada também para o tratamento da TPM, da adenomiose, da hipertrofia uterina, da baixa da libido, da perda de massa muscular e da massa óssea, revertendo, quando associada a estrogênio, a osteopenia ao fim de alguns meses. Os efeitos colaterais da Gestrinona são observados mais nas mulheres jovens e refletem a sua ação androgênica. Seborréia, acne, queda de cabelo, rouquidão, ganho muscular, são efeitos que podem ser atenuados pelo uso da espironolactona na dose de 50 mg, duas vezes ao dia.

A Gestrinona, também associada ao estrogênio, pode ser utilizada em pacientes cuja reposição hormonal na menopausa com estradiol e testosterona está produzindo repetidamente espessamento de endométrio.

Acetato de Nomegestrol

Outro progestínico que pode ser utilizado na reposição hormonal é o acetato de nomegestrol. Em associação com o 17 β estradiol, serve ao propósito de proteger o endométrio com menos efeitos colaterais que o levonorgestrel, exigindo um número menor de implantes.

O Nomegestrol é largamente utilizado na Europa e no Brasil com o nome comercial de Lutenil. Os principais padrões de sangramento deste implante hormonal, quando usado como anticoncepcional sob a forma de implante único contendo 55 mg de acetato de nomegestrol, são diferentes dos outros implantes porque metade das pacientes (40-66%) menstrua regularmente e a amenorréia é rara (2-5%). Em um estudo realizado em 1.803 mulheres em idade reprodutiva em nove países a ocorrência de gravidez ao fim de um ano foi de menos de 1%.

Levonorgestrel

O Levonorgestrel pode ser aplicado na reposição hormonal em associação com o estradiol, em pacientes que têm predisposição para pólipos endometriais ou que apresentem espessamento do endométrio superior a 9 mm. Nesses casos é interessante colocar os implantes de estrogênio separados daqueles do progestínico porque estes últimos duram seis anos e portanto, somente o estradiol necessita renovação anual.

Como anticoncepcional, o levonorgestrel também pode ser usado em associação com o estradiol. Nos Estados Unidos e na Europa o levonorgestrel, sob a forma de implantes, é usado como anticoncepcional de longa duração (6 implantes) com o nome comercial de NORPLANT.

IMPLANON ® 

1.O Implante subdérmico de etonogestrel é um método contraceptivo;

2. O Implanon deve ser inserido sob a pele na face medial do braço, sob anestesia local;

3. O índice de falha, em 3 anos, é menor que 0,08;

4. Uma pequena quantidade de progestagênio etonogestrel (um tipo de hormônio feminino) é 
liberado continuamente, passando do implante para o corpo, resultando em um efeito 
anticoncepcional por um período de 3 anos;

5. Em alguns casos o procedimento de inserção e/ou retirada pode haver formação de cicatriz 
no local do implante;

6. A inserção ou remoção do implante pode causar irritação leve, dor e coceira no local. Pode 
ocorrer também hematoma no local da inserção;

7. O implante pode ser removido a qualquer momento;

8.Como em todos os contraceptivos apenas com progesterona, Implanon pode mudar o 
padrão do sangramento vaginal. O padrão menstrual que poderá ocorrer com o uso do implante varia de mulher para mulher sendo de difícil previsão, mas em média, em 52% dos casos ocorrem amenorréia (ausência de sangramento) ou sangramento infreqüente, em 25% dos casos não ocorre alteração do fluxo menstrual (sangramento normal), em 16% ocorre um aumento no menstrual (sangramentos prolongados) e em 7% sangramentos frequentes;

9. Segundo os dados dos estudos realizados com Implanon, das mulheres que apresentavam acne, no momento da inserção, a maioria delas (cerca de 59%), teve melhora no quadro. Em cerca de 14% a acne ocorreu sem história prévia e 10% pioraram a condição anterior.

10. Em raros casos podem ocorrer alguns efeitos adversos tais como aumento de peso, cefaléia, dor nas mamas;

11. Algumas medicações podem interferir no perfeito funcionamento do implante como anti- epiléticos e remédios para tratar tuberculose;

12. O Implante subdérmico de etonogestrel não protege contra infecção por HIV ou qualquer outra doença sexualmente transmissível.
 
13. O implante deverá ser inserido durante o período menstrual.


14. Devo retornar para consulta médica em 30 dias a partir da data da inserção e depois, a cada 180 dias.
 
 
 
Estradiol
 
A reposição hormonal com implantes de estradiol deve ser iniciada com base nos níveis sanguíneos do hormônio, obtidos na fase proliferativa do ciclo menstrual, de preferência entre o 10º e 12º dia.
Nas pacientes que encontram-se na menopausa, a dosagem deve ser feita alguns dias depois de suspenso qualquer outro tipo de reposição hormonal que esteja em uso. Nas pacientes com sintomas cujo nível de estradiol esteja acima de 80 pg/mL, não mais de quatro implantes devem ser inseridos.
A duração do efeito dos implantes em não-fumantes é cerca de um ano. Cada implante contendo 50 mg libera cerca de 4-5 mcg de estradiol por dia
 
Testosterona
 
Mulheres
Os implantes de Testosterona se faz habitualmente com base nos níveis sangüíneos de testosterona total. Pode-se associar o estradiol quando necessário e indicado.
 
Homens
A reposição hormonal em homens com níveis baixos de testosterona também deve ser feita com base nos níveis sangüíneos da testosterona total. A testosterona livre deve igualmente ser dosada porque a principal alteração que se obtém após a aplicação dos implantes é na fração livre.
 
Fumantes e Ex-Fumantes
Um componente importante entre os fatores que podem alterar as doses acima referidas merece destaque especial, o hábito de fumar. Os hidrocarbonetos do fumo derivados do benzeno provocam o aparecimento no fígado do fumante, de enzimas que funcionam como antídotos neutralizadores do efeito venenoso dos referidos compostos. São enzimas do tipo CYP-450 que neutralizam igualmente o estradiol e a testosterona cuja estrutura química é semelhante à dos hidrocarbonetos que compõem o alcatrão do fumo. Deste modo, os implantes hormonais aplicados em fumantes devem ter o seu número aumentado de cerca de 20% para serem eficientes. Mesmo com o aumento da dose inicial, a maioria dos fumantes necessita repor os implantes antes de completar um ano de uso.
 
Orientações gerais;
 
1 – A adaptação do implante no organismo pode durar ate 3 meses;
 
2 – Durante este período pode aparecer sangramento genital, tanto com uso dos implantes contraceptivos como também nos implantes de reposição hormonal, podendo acontecer em ate 20% das pacientes no inicio do tratamento;
 
3 – Em raros casos  torna-se necessário torna-se necessário o aumento da dose para  obter-se efeito clínico desejado;
 
4 – O efeito anticoncepcional é obtido 15 dias após a inserção do implante, Apesar de não ter relatos de gravidez em uysuarias de implantes anticoncepcionais não existe nenhum anticoncepcional 100% eficaz;
 
5 – Os implantes serão cobrados por dose;
 
6 – No caso de insatisfação ou não adaptação com uso dos implantes não haverá ressarcimento do valor pago;
 
7 – A retirada do(os) implante(es) não é compulsória porém se for necessário ou este for o desejo da paciente,   deverá faze-lo com o médico que realizou o ato de inserção pois  outros profissionais podem não ter experiência  com os implantes;
 
8 – Com o decorrer das reinserções dos implantes poderá ficar uma pequena marca (cicatriz) na região de aplicação;

» Listar todas